Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro 8, 2013

RINDO MUITO COM A GOSTOSA DA JAQUELINE

Estava em uma sala que ficava a céu aberto e não tinha teto. Nesta sala havia alguns bancos que era tipo banco de praça. havia algumas pessoas ali. Eu estava sentado em um destes bancos e no banco da frente que estava virado para mim, estava a Jaqueline. Eu dizia para a Jaqueline que ela era gostosa demais. Ela ria muito. Nisto eu também ria bastante. Ela estava sentada neste banco como a gente senta normalmente, vai escorregando e fica mais deitado que sentado. Eu também estava desta forma. A gente não parava de rir e eu dizia a ela que deitada ela ficava mais gostosa ainda. Ai ela ria muito mesmo e eu também.




ACELERANDO A MOTO

Estava em um local parecido com um parque. estava aguardando uma pessoa que iria trabalhar comigo. Havia uma pessoa perto de mim dizendo que meu ajudante já estava vindo. Eu dizia que estava com pressa e não iria ficar aguardando muito tempo. Nisto a pessoa que estava perto de mim disse que ele já estava chegando de moto. A pessoa que vinha na moto passou muito próximo de mim, acelerando muito a moto. Depois voltou e passou novamente. Ficou naquele vai e vem e não parava a moto. Então disse para a pessoa que estava perto de mim que não era possível trabalhar com o ajudante andando de moto. Disse que eu iria procurar outro. Fui indo embora dali e o motoqueiro continuou andando de um lado a outro sempre acelerando muito a moto.





AS CRIANÇAS

Estava em um local que parecia ser um coreto de praça pública. Havia algumas pessoas ali. Estava sentando de cabeça baixa. Nisto chegaram rapidamente a Jaqueline e a Rita trazendo o Fernando no colo. O Fernando deveria ter uns dois anos. Elas disseram que tinham se atrasado porque tinham ido levar o Fernando ao médico e a consulta tinha demorado. Não falei nada, apenas olhei para elas. A Jaqueline, que carregava o Fernando o colocou no chão. Ele veio andando até mim e abraçou minha perna. Levantei, dei a mão a ele e saímos andando dali. Nisto outra criança que deveria ter uns dois anos também, se aproximou de mim e me deu a mão para ir comigo também. Sai dali andando com o Fernando e aquela criança por aquele local que parecia uma praça pública.




A PROCISSÃO DE BOIS

foto - Thymonthy Becker

Estava em um pátio que seria de uma empresa. Este pátio estava cheio de entulhos em vários montes. O chão era de terra batida. Eu procurava minha prancheta onde estavam as planilhas com as quais eu fazia as medições da qualidade do ar. Sai procurando por elas até que vi uma prancheta jogada no chão. Quando a peguei, vi que era a prancheta antiga que tinha estragado. peguei esta prancheta e fui jogá-la no livo. O barril que se colocava o lixo, estava transbordando e sua lateral aberta até a metade. Joguei a prancheta ali e fui procurar pela nova. Cheguei em uma local deste pátio onde havia uma espécie de tanque. este tanque era retangular e tinha três paredes apenas. Uma parede na qual onde eu estava e deveria ter uns dez metros de comprimento e dois metros de altura mais ou menos. As duas paredes laterais deveriam ter uns vinte metros de comprimento. Ele não possuía a parede do fundo. As paredes deste tanque estavam pintadas de branco. Este tanque tinha sido co…