Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro 9, 2013

AS MÍMICAS DO CAUÃ

Estava em uma cozinha com o Ricardo e mais outras três pessoas. Nisto chegou uma criança que deveria ter uns dois anos. Era o Cauã. Ele fazia algumas mimicas com as mão e não dizia nada. Fazia mostrando pra gente. Então entendi que ele dizia que a mãe dele estava pintando a casa. O Ricardo perguntou a ele se era isto mesmo. Ele balançou a cabeça dizendo que sim. O Ricardo então disse que iria lá para ajudar. Eu disse que iria embora pra minha casa.




NOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

Estava nos Estados Unidos da América. Eu e mais três pessoas e uma criança que deveria ter uns cinco anos. Chegamos em uma varanda onde do lado de dentro tinha algumas pessoas sentadas em algumas mesas. Esta varanda tinha à sua frente uma parede que deveria ter um metro de altura mais ou menos. Para entrar nesta varanda a gente tinha que pular esta parede. Todos foram pulando ficando para pular por último, eu e o Basílio. O Basílio disse que não dava conta de pular aquele parede. Então eu dei pé-pé para ele pular. Depois subi nesta parede e fui caminhando em cima dela até a outra ponta onde tinha um homem sentado tomando café em um copo. Quando cheguei perto dele, ele me entregou o copo. Eu então agradeci a ele. Depois fiquei pensando porque eu tinha agradecido por aquele homem me dar o copo. Desci desta parede e veio uma pessoa e entregou uma caixinha de suco para aquela criança. Depois eles ficaram conversando. Algumas palavras eu entendia e outras não. Então fiquei pensando se aque…

AS TELHAS DO GALPÃO

Estava em um local onde o Ricardo e outra pessoa colocavam telhas em um galpão. Não as telhas de cobertura, mas aquelas que alguns galpões colocam na laterais. Eu estava um pouco distante vendo eles fazerem isto. Depois que colocaram as telhas eles vieram até onde eu estava e me perguntaram de se tinha ficado bom. Antes que eu respondesse, duas telhas soltaram de um lado e ficaram penduradas. Outras começaram a cair também. O Ricardo então disse que teria que arrancar tudo e colocar novamente. Eu dizia que não era preciso, bastava eles arrumarem papel velho que eu iria dissolve-los em água e fazer uma massa de papel e água. Com esta massa eu iria colar as telhas no lugar, isto porque depois que esta mistura seca, fica duro igual a pedra.