Pular para o conteúdo principal

DESTINO OU ACASO?






foto - Thymonthy Becker Comunicação
Faz algum tempo que nosso fogão deixou de ser movido a serragem. Agora eh a lenha como a maioria dos fogões. Muitas vezes meu pai compra a lenha, mas outras vezes ele busca lenha nas proximidades de uma cachoeira que fica uns 10 km de nossa casa. Ele fez um carrinho de madeira de duas rodas, na verdade se parece mais com um caixote gigante com rodas e o varal para ser puxado. Ele enchia o carrinho de lenha para levar pra casa. Mas ele nunca ia sozinho. Sempre levava dois ou três filhos para ajudá-loMelhor dizendo, sempre me levava e mais um ou dois irmãos meu. A gente saía sempre de manhãzinha, no sábado, porque ele não trabalhava aos sábados, logo depois do café da manhã, isto por volta das 07h00min. Voltava sempre por volta das 14h00min com o carrinho cheio e agente com muita fome e quase sem forças, porque tínhamos que puxar e carrinho até em casa.
Foi em uma destas "aventuras" de buscar lenha que a vida me deu a terceira chance.
Meu pai buscava lenha na cachoeira, porque vinham muitos trocos de árvores, derrubados por enchentes ou outro motivo e ficavam presos na cachoeira. Nesta cachoeira, havia uma espécie de lago que meu pai chamava de bolsão de águaParte da água caía neste bolsão e saia por uma espécie de corredor e se juntava ao rio que continuava depois da cachoeira. Era uma cachoeira pequena, mas com muitas pedras.
Um tronco de árvore relativamente grande estava preso nas pedras quase que caindo neste bolsão. Meus irmãos estavam pela região procurando madeira para levarmos para casa. Meu pai então teve a idéias de jogar este tronco de árvore neste bolsão de água. Mas se ele simplesmente o jogasse, não daria tempo de dar a volta, pular na água e segurar o tronco. Ele certamente seria levado para o rio e assim teria perdido a madeira que, depois de cortada,  seria o bastante para encher o carrinho. Meu pai então teve a idéia de colocar as bóias salva vidas em meus braços e usando uma corda relativamente comprida, amarrou uma ponta no meio do tronco e a outra ponta em minha cintura. Disse que iria empurrar o tronco e assim que o tronco caísse na água, eu deveria pular. Disse ele que não tinha perigo de eu afundar porque estava usando as bóias salva-vidas no braço e o tronco por ser madeira não afundaria. Que era só para eu não deixar o tronco ir embora até que ele desse a volta nas pedras e pulasse ao meu encontro. E assim ele fez. Com muito esforço conseguiu empurrar o tronco que caiu naquele bolsão de água. Pulei logo em seguida. Mas não saiu como ele planejou.
foto - ?
O tronco afundou, talvez por ser madeira verde, não sei o motivo e me levou para o fundo com ele. A corda não era suficiente para me deixar fora d'água com o tronco no fundo. Quando meu pai chegou à beira deste bolsão e não me viu, segundo ele, gritou por meus irmãos e pulou. Eu estava preso na corda e não conseguia subir. Meu pai tentou puxar o tronco para cima com a corda, mas não conseguiu, tentou então desamarrar a corda de minha cintura, mas precisou tomar fôlego e subiu à superfície. Nisto meus irmãos estavam ali procurando por ele. Vendo o que estava acontecendo pularam na água também. Assim, meu pai e meus irmãos conseguiram soltar a corda da minha cintura e me levaram para fora d'água. Mas eu já estava sem vida.
Mais uma vez, meu pai desesperado, meus irmãos idem, tentando me reanimar. Mas desta vez estava sendo em vão. Até que meu pai deu um murro com tanta força em meu peito que trincou o osso. Mas foi o que ele precisava, me trouxe de volta mais uma vez.
Acabou que eu vim dentro do carrinho, não estava conseguindo andar nem respirar direito, devido à dor forte no peito.
Fiquei um bom tempo de repouso até que o osso do peito ficasse curado. Era o xodó da minha mãe neste período. Dava-me tudo que eu queria.
Depois deste acontecimento, meu pai não mais buscou lenha. Toda lenha que passou a usar era comprada de um sitiante que a despejava em nosso portão, A gente só tinha mesmo o trabalho de guardá-la próximo ao fogão a lenha.   
Esta foi a terceira chance que a vida me deu. Seria meu destino ser levado pelas águas ou tudo não passou de mero acaso? 


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

CORRENDO VELOZMENTE DO BICHO ESTRANHO

Estava numa estrada comprida e reta, cercada de mato em ambos os lados. Nisto veio um bicho em alta velocidade. Alguém gritou para sair da frente, porque o bicho era muito feroz. Então dei um pulo e ele passou rapidamente. Sai correndo atrás do bicho, tão rápido quanto ele ia. Depois o bicho mudou de direção, vindo correndo atrás de mim. Sai correndo velozmente, mas o bicho estava me alcançando. Então pensei que era só voar que ele não me pegaria. Dei um grande salto e sai voando. Nisto vi o bicho passando logo abaixo de mim. Via só a poeira que ele fazia. O bicho mesmo não via. Fiquei pensando que ainda bem que o tal bicho não voava, senão estaria perdido.

ZIQUINHO, O POLVINHO DIFERENTE

NO FUNDO DE UM MAR BRAVIO, NO PORÃO DE UM NAVIO, QUE NAUFRAGOU POR LÁ.
DONA POLVA ESTÁ CONTENTE, SEU MARIDO IMPACIENTE, POIS SEUS FILHOS VÃO CHEGAR.

NAQUELE MESMO DIA, DURANTE UMA CALMARIA, DE UMA TARDE DE VERÃO.
NASCERAM OS POLVINHOS, QUE CHEGARAM DE MANSINHO, PARA ORGULHO DO PAIZÃO.

NASCERAM OS POLVINHOS, QUASE TODOS IGUAISZINHOS, SE NÃO FOSSE UM DOS IRMÃOS.
ENQUANTO SETE DOS POLVINHOS ERAM TODOS IGUAISZINHOS, UM SÓ ERAM BRANCÃO.

POR SER TÃO DIFERENTE, DERAM-LHE O NOME DE GENTE, ÀQUELE POLVINHO ENGRAÇADO.
POR SER TÃO BRANQUINHO, E BASTANTE MIUDINHO, DE ZIQUINHO FOI CHAMADO.

ENQUANTO TODA TURMINHA, VINHA PELA TARDINHA, E NO NAVIO BRINCAVA.
ZIQUINHO TRISTE SENTADO, SENTINDO-SE REJEITADO, NÃO SE CONFORMAVA.

MAS O SÁBIO PROFESSOR, QUE ENTENDIA TUDO DE COR, ERA UM GRANDE TUBARÃO.
PROCUROU POR ZIQUINHO, E LHE DISSE BEM BAIXINHO, TER ENCONTRADO A SOLUÇÃO.

“ZIQUINHO VOU LHE DIZER TUDO QUE TENS A FAZER, PARA PRETINHO FICAR”
“TOME CUIDADO COM A ARRAIA, NADE ATÉ UMA PRAIA E DEIXE O SOL TE QUE…

VIÇOSA / MG - CIDADE UNIVERSITÁRIA E JOVEM

SEJA BEM VINDO A CIDADE DE VIÇOSA. UMA CIDADE JOVEM E CULTA
foto - ?
VIÇOSA TEM UMA POPULAÇÃO É DE 72.244 HABITANTES, ALÉM DE UMA POPULAÇÃO FLUTUANTE DE APROXIMADAMENTE 20.000 PESSOAS, COMPOSTA PRINCIPALMENTE DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA E OUTRAS INSTITUIÇÕES. QUEM NASCE EM VIÇOSA EH: VIÇOSENSE HISTÓRIA
TRATA-SE DE UMA CIDADE ESSENCIALMENTE UNIVERSITÁRIA, COM DESTAQUE PARA A UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA, CONTA AINDA COM OUTRAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PRIVADAS COMO ESUV, FDV, UNIVIÇOSA, UNOPAR, ACENTUANDO AINDA MAIS O CARÁTER EDUCACIONAL DA CIDADE. A HISTÓRIA DE VIÇOSA SE INICIA, PROPRIAMENTE, NO SÉCULO XIX. FOI EM 1800, SEGUNDO APONTAMENTOS ECLESIÁSTICOS QUE O PADRE FRANCISCO JOSÉ DA SILVA OBTEVE DO BISPADO DE MARIANA PERMISSÃO PARA ERIGIR UMA ERMIDA EM HOMENAGEM A SANTA RITA DE CÁSSIA, NA REGIÃO QUE HOJE ABRANGE O MUNICÍPIO. A CONSTRUÇÃO DA ERMIDA E A FERTILIDADE DAS TERRAS ATRAÍRAM HABITANTES DE MUNICÍPIOS VIZINHOS, PRINCIPALMENTE DE MARIANA, O…