PELOS CORREDORES


Estavaem um local, que não sei onde era juntamente com uma pessoa. Parecia ser umcorredor em “L”, mas aberto. Eu e esta pessoa corríamos do que seria umespírito. Ele tinha a forma de homem, mas era feito de luz branca no meio eazul em volta. A gente fazia o que seria o “L” do corredor, mas o tal espíritoaparecia na frente da gente no final, antes que a gente pudesse sair dali,nisto a gente ia e voltava. Então decidi driblar o espírito, fingindo que iriapara um lado, mas ao chegar à metade do caminho, voltei. A outra pessoacontinuou indo pára o outro lado. Quase saindo do que seria este tal corredor,o espírito apareceu e disse que eu não podia enganá-lo. Perguntei então o queele queria da gente. Ele disse que queria apenas eu. Era para eu ir com ele.Perguntei para onde. Ele disse: __que pergunta! Embora. Acabou. Final. Fim dalinha. Terminou a estrada. Novo começo. Enquanto ele falava, fui saindo de“fininho” e sai correndo no que seria uma mata. Depois de correr bastante e jácansado, vi que a tal luz me seguia. O espírito então disse que eu estava dandomuito trabalho para ele. Então ele disse que iríamos começar tudo novamente.

Comentários