domingo, 14 de agosto de 2011

CARRANCAS / PARAISO PERDIDO DO ECOTURISMO

MUITO BEM VINDO AO PARAISO. BEM VINDO A CARRANCAS. MINAS EH ISTO E MUITO MAIS.
imagem "?"
Esta cidade obteve nota 86 ( oitenta e seis ) (de no máximo 100), e ocupa o 1º lugar, no ranking de cidades mineiras que você precisa visitar ao menos uma vez na vida.

CARRANCAS TEM 3.948 HABITANTES. (IBGE 2010)
QUEM NASCE EM CARRANCAS EH: CARRANQUENSE
O IDH DO MUNICÍPIO EH DE: 0,750 - CONSIDERADO MÉDIO PELOS INDICADORES DA ONU
A CIDADE FAZ ANIVERSÁRIO EM 27 DE DEZEMBRO E FOI FUNDADA EM 1948
Por volta da metade do século XVIII, o Capitão-Mor João Toledo Piza, Castelhano, Pe. Lourenço Taques, e outros, com suas famílias e escravos, chegaram ao local onde hoje se ergue o município, iniciando o povoamento.
Motivados pelas boas perspectivas de exploração auríferas, além da boa qualidade da terra para a agropecuária, aí se estabeleceram, construindo logo após uma capela, em torno da qual foi-se desenvolvendo o povoado.
A denominação Carrancas deve-se às escavações que os garimpeiros fizeram em uma serra localizada no município, e que formaram para quem as vê de longe as fisionomias exatas de suas caras.
imagem de Alice
Carrancas é um pequeno paraíso de serras e cachoeiras na Estrada Real. Considerada um dos novos pólos de Ecoturismo, é um lugar ideal para a prática de Montain Bike, Trekking e outros esportes que lhe propiciam o contato com a natureza.
Conhecida como Terra das Cachoeiras, possui mais de 120 quedas dágua distribuídas em complexos como o da Zilda, da Ponte, da Fumaça e Vargem Grande, poço da esmeralda, além das grutas da toca e da cortina. No complexo da Zilda ainda pode-se observar pinturas rupestres e um escorregador com cerca de dez metros que termina com um divertido mergulho. Na área urbana o destaque é para a igreja Nossa Senhora da Conceição, principal patrimônio histórico-cultural do município. A noite na cidade oferece forró, luau e bares. Tantas atrações convidam o turista a desfrutar a natureza deixando de lado todo o stress da vida corrida, saindo de Carrancas com as energias renovadas.


Texto por: Fernanda Bueno (Equipe Visite Minas Gerais)
CHEGANDO EM CARRANCAS
imagem de "?"
Considerada como um dos mais recentes pólos de ecoturismo em Minas Gerais, Carrancas se destaca pelos inúmeros atrativos naturais que oferece e pelos tradicionais hábitos e costumes de seus habitantes...

Descubra, visite, preserve Carrancas, a natureza lhe retribuirá em dobro!
Recicle sua mente, pratique o ecoturismo!

COMHEÇA AGORA UM POUCODESTE PARAISO QUE VOCE PRECISA CONHECER.

ANTIGA ESTAÇÃO FERROVIÁRIA
imagem de mmaximiano
 POUSADA
 imagem de técnica 4x4

CORETO DA PRAÇA CENTRAL
imagem de Alessandro Carvalho
IGREJA MATRIZ DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO VISTA DE LADO.
imagem de Guilherme Fiqueiredo
AQUI A FRENTE DA IGREJA
imagem de Vicente A. Queiroz
POUSADA LUZ DO SOL
imagem de "?"
POUSADA SETE QUEDAS
imagem de Carlos F Costa Pinto
CHAFARIZ DA PRAÇA PINCIPAL
imagem de Alessandro Carvalho
UMA RUA DA CIDADE
imagem de "?"
VEJA AS MAIS BELAS CACHOEIRA E FORMAÇÕES ROCHOSAS DA REGIÃO.
CACHOEIRA ALMA GÉMEA
imagem de Fábio Cubas
VISTA AÉREA DA CACHOEIRA
imagem de Alice
CACHOEIRA DO GRÃO MOGAL
I Martins3
CACHOEIRA DO MOINHO
imagem de Alessandro Carvalho
CACHOEIRA DOS ANJOS
imagem de I Martins3
CACHOEIRA ESMERALDA
imagem de Alessandro Carvalho
CACHOEIRA DA FUMAÇA
imagem de Clebicar
CANYON DA CACHOEIRA GRÃO MOGAL
imagem de I Martins3
AQUI FOTOS DO COMPLEXO "ZILDA"
imagem de Tulhão
imagem de Tulhão
imagem de Tulhão
ENTORNO DA CIDADE
imagem de I Martins3
FLORA NO ENTORNO DA CIDADE
imagem de I Martins3
GRUTA DA PONTE
imagem de I Martins3
PAISAGEM RURAL
imagem de I Martins3
POÇO SONRISAL
imagem de I Martins3
ROCHA DA ZILDA
imagem de Samir Zabani
VERTEDOURO
imagem de I Martins3
NORTE DE CARRANCAS
imagem de I martins3
SAIDA DA CIDADE
imagem de I martins3
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICIPIO
SUA VISITA AGRADEÇO. SEMPRE VOLTE A PASSAR POR AQUI

(Propriedade Intelectual de Thymonthy Becker) marca e logomarca

ATÉ UM DIA QUALQUER EM UMA CIDADE MINEIRA

COMENDO DOCE DE ABACAXI NO ALTO FORNO


Estava numa siderurgia. Perto do alto forno. Ali havia um homem com um imenso tacho, fazendo doce em um fogão de tijolos, montado ali. Ele fazia doce de abacaxi com coco. Ofereceu-me um pouco de doce. Peguei uma tigela que tinha ali e fui colocando o doce, retirando diretamente do tacho, com uma colher que era muito grande. Coloquei doce até encher esta tigela. Este homem que fazia o doce colocou doce para ele também, só que em uma tigela um pouco menor. Deixei a tigela de doce ali e fui pegar uma colher com o tal homem do doce. Ele saiu procurando, mas não encontrava. Até que em um armário, havia varias colheres. Deu-me uma pequena. Sai para pegar minha tigela e vi que ela era grande demais, estava muito cheia e eu não deveria ter colocado tanto doce assim. Eu nem gostava de doce de abacaxi. Então peguei a tigela do homem que fazia o doce, porque era menor e tinha pouco doce. Procurei um local para ir comer o doce, mas não via lugar para sentar. Então, com dificuldades, fui subindo no próprio alto forno, nos encanamentos que tem em volta dele. Depois de estar a uns 5 metros do chão, em pé, fui comer o doce. Neste instante, alguém começou a lavar o alto forno, na parte de cima. Nisto a água começou a escorre por onde eu estava. Com medo de escorregar, subi mais um pouco. Mas a água vinha por todo lado. Então sentei No único local onde era possível. Estava de calça jeans branca. Ficou toda suja de preto do carvão. Mas a água veio vindo ali. Então subi mais ainda. Ficando em pé, com um só pé em um cano que tinha ali, encostando meu corpo nas próprias ferragens do alto forno. Fiquei a uns 10 metros de altura aproximadamente. Mas a águam começou a passar pelo cano em que eu me apoiava. Fiquei com medo de meu sapato escorregar e eu vir a cair lá em baixo. Só que eu não tinha mais como subir e não conseguia descer. Segurando a tigela de doce na mão e com a colher na boca, olhei para baixo e vi algumas pessoas. Uma tubulação de uns 50 centímetros de diâmetro passava próximo ao chão, perto de onde estas pessoas estavam. Imaginei se eu caísse, bateria naquela tubulação e poderia acontecer o pior. Não conseguia sair de jeito nenhum dali. A única maneira era alguém me socorrer. Mas não conseguia chamar por socorro, porque estava com a colher na boca. Meu pé começou a escorregar. Então percebi que não tinha outro jeito, eu cairia e seria o que DEUS quisesse.