Pular para o conteúdo principal

NO CORAÇÃO DA CRIANÇA RESIDE O SEGREDO DA PAZ






foto - Thymonthy Becker Comunicação
-->Lembro que já fiz muitas bagunças e, segundo minha mãe, aprontava demais a ponto de deixá-la "maluca.
Certa vez minha mãe pediu para eu ir até a feira e comprar bananas. Pediu que eu comprasse todo o dinheiro que havia me dado em bananas. Fui como sempre ia mesmo, com minha espada de plástico e brincando estar duelando com alguém. Comprei as bananas e voltei para casa. Chegando em casa minha mãe perguntou pelas bananas. Procurei e vi que eu estava somente com a espada. Eu havia comprado as bananas, havia pago as bananas, mas tinha deixado a mesma com feirante. Não deu outra, minha mãe começou a chingar e mandou-me voltar para buscar as bananas. Mandou meu irmão mais velhir comigo, dizendo que eu não sabia fazer nada direito. Voltamos para pegar as bananas, mas o feirante já tinha ido embora. Voltamos para casa sem dinheiro e sem bananas e com meu irmão dizendo que eu ia apanhar de novo. 
Em casa, minha mãe pegou minha espada e dobrou-a em algumas partes, tentando quebrá-la. Mas por ser de plástico ela só dobrava. Minha mãe disse que não mais me deixaria brincar ou sair com aquela espada, que iria destruí-la. Como ela não estava conseguindo, pediu meu irmão mais velho e este, a cortou em vários pedaços com uma faca.
Em casa, só meu pai trabalha e sustentar a família não era fácil, dizia minha mãe, pois o dinheiro era sempre a conta.
A banana ou o dinheiro, naquele momento não tinha muita importância pra mim, mas a espada sim. Eu ganhei aquela espada no natal. E pra mim foi o melhor presente de todos. Mesmo porque os presentes eram sempre roupas. E não tinha graça ganhar roupa de natal.
Quebrar a espada, dizia minha mãe, foi a melhor coisa que tinha feito, porque assim eu não quebraria mais nada em casa. Dizia que eu destruía tudo batendo com a espada e agora eu ia dar um pouco mais de sossego. 
foto - ?
Quebrar minha espada foi para mim, o pior castigo que podiam me dar. Foi como se a vida perdesse a graça
Eu não era de chorar, porque meu pai sempre dizia que homem nunca chora. Mesmo quando eu apanhava do meu pai, que batia e machucava a gente, eu procurava não chorar. Ás vezes a dor era tão forte que eu não conseguia e chorava.
Mas desta vez foi diferente. Pela primeira vez, vendo minha espada quebrada, eu chorei sem sentir dor. Chorei em silêncio, mas meus irmãos viram e ficaram zuando dizendo que eu estava chorando e por isto não era homem.
Minha mãe, ouvindo eles me zuarem, foi até mim e disse que assim que meu pai recebesse o pagamento, ia comprar outra pra mim. Disse que tinha se arrependido de ter mandado meu irmão cortar a espada.
Quando meu pai recebeu o pagamento, minha mãe cumpriu o que prometera e comprou outra espada pra mim.
Tempos depois, minha mãe estava limpando o porão e desci até lá. Foi quando ela encontrou a minha velha espada de plástico e perguntou se eu me lembrava dela. Peguei a espada, dei algumas espadas no ar e falei que não sabia como ela tinha ido parar ali. Disse para minha mãe que não me lembrava de quando foi que parei de brincar com ela. Ela então respondeu: __Quando deixou de ser criança.
Lembra disto minha mãe?  


APAIXONE-SE
   

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZIQUINHO, O POLVINHO DIFERENTE

NO FUNDO DE UM MAR BRAVIO, NO PORÃO DE UM NAVIO, QUE NAUFRAGOU POR LÁ.
DONA POLVA ESTÁ CONTENTE, SEU MARIDO IMPACIENTE, POIS SEUS FILHOS VÃO CHEGAR.

NAQUELE MESMO DIA, DURANTE UMA CALMARIA, DE UMA TARDE DE VERÃO.
NASCERAM OS POLVINHOS, QUE CHEGARAM DE MANSINHO, PARA ORGULHO DO PAIZÃO.

NASCERAM OS POLVINHOS, QUASE TODOS IGUAISZINHOS, SE NÃO FOSSE UM DOS IRMÃOS.
ENQUANTO SETE DOS POLVINHOS ERAM TODOS IGUAISZINHOS, UM SÓ ERAM BRANCÃO.

POR SER TÃO DIFERENTE, DERAM-LHE O NOME DE GENTE, ÀQUELE POLVINHO ENGRAÇADO.
POR SER TÃO BRANQUINHO, E BASTANTE MIUDINHO, DE ZIQUINHO FOI CHAMADO.

ENQUANTO TODA TURMINHA, VINHA PELA TARDINHA, E NO NAVIO BRINCAVA.
ZIQUINHO TRISTE SENTADO, SENTINDO-SE REJEITADO, NÃO SE CONFORMAVA.

MAS O SÁBIO PROFESSOR, QUE ENTENDIA TUDO DE COR, ERA UM GRANDE TUBARÃO.
PROCUROU POR ZIQUINHO, E LHE DISSE BEM BAIXINHO, TER ENCONTRADO A SOLUÇÃO.

“ZIQUINHO VOU LHE DIZER TUDO QUE TENS A FAZER, PARA PRETINHO FICAR”
“TOME CUIDADO COM A ARRAIA, NADE ATÉ UMA PRAIA E DEIXE O SOL TE QUE…

CORRENDO VELOZMENTE DO BICHO ESTRANHO

Estava numa estrada comprida e reta, cercada de mato em ambos os lados. Nisto veio um bicho em alta velocidade. Alguém gritou para sair da frente, porque o bicho era muito feroz. Então dei um pulo e ele passou rapidamente. Sai correndo atrás do bicho, tão rápido quanto ele ia. Depois o bicho mudou de direção, vindo correndo atrás de mim. Sai correndo velozmente, mas o bicho estava me alcançando. Então pensei que era só voar que ele não me pegaria. Dei um grande salto e sai voando. Nisto vi o bicho passando logo abaixo de mim. Via só a poeira que ele fazia. O bicho mesmo não via. Fiquei pensando que ainda bem que o tal bicho não voava, senão estaria perdido.

VIÇOSA / MG - CIDADE UNIVERSITÁRIA E JOVEM

SEJA BEM VINDO A CIDADE DE VIÇOSA. UMA CIDADE JOVEM E CULTA
foto - ?
VIÇOSA TEM UMA POPULAÇÃO É DE 72.244 HABITANTES, ALÉM DE UMA POPULAÇÃO FLUTUANTE DE APROXIMADAMENTE 20.000 PESSOAS, COMPOSTA PRINCIPALMENTE DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA E OUTRAS INSTITUIÇÕES. QUEM NASCE EM VIÇOSA EH: VIÇOSENSE HISTÓRIA
TRATA-SE DE UMA CIDADE ESSENCIALMENTE UNIVERSITÁRIA, COM DESTAQUE PARA A UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA, CONTA AINDA COM OUTRAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PRIVADAS COMO ESUV, FDV, UNIVIÇOSA, UNOPAR, ACENTUANDO AINDA MAIS O CARÁTER EDUCACIONAL DA CIDADE. A HISTÓRIA DE VIÇOSA SE INICIA, PROPRIAMENTE, NO SÉCULO XIX. FOI EM 1800, SEGUNDO APONTAMENTOS ECLESIÁSTICOS QUE O PADRE FRANCISCO JOSÉ DA SILVA OBTEVE DO BISPADO DE MARIANA PERMISSÃO PARA ERIGIR UMA ERMIDA EM HOMENAGEM A SANTA RITA DE CÁSSIA, NA REGIÃO QUE HOJE ABRANGE O MUNICÍPIO. A CONSTRUÇÃO DA ERMIDA E A FERTILIDADE DAS TERRAS ATRAÍRAM HABITANTES DE MUNICÍPIOS VIZINHOS, PRINCIPALMENTE DE MARIANA, O…