domingo, 30 de novembro de 2014

O HOMEM DE GUARDA-CHUVA






ESTAVA DORMINDO, QUANDO COMEÇOU A VENTAR MUITO E A CHOVER. O VENTO TRAZIA A CHUVA PARA DENTRO DE MEU QUARTO, PORQUE A JANELA ESTAVA ABERTA. EU QUERIA LEVANTAR PARA FECHAR A JANELA, MAS FICAVA QUIETO NA CAMA. NISTO LEMBREI QUE A JANELA DO QUARTO DA NATHÁLIA ESTAVA ABERTA TAMBÉM. ENTÃO LEVANTEI PARA FECHAR A JANELA DO QUARTO DELA, NISTO VI QUE MEU QUARTO ESTAVA TODO MOLHADO, O TETO, AS PAREDES E O CHÃO. ENTÃO FUI FECHAR A JANELA DA NATHÁLIA. QUANDO ABRI A PORTA DO MEU QUARTO, VI QUE AS PAREDES E O TETO DO CORREDOR TAMBÉM ESTAVAM TODOS MOLHADOS. FIQUEI PENSANDO COMO ISTO FOI POSSÍVEL, POIS O CORREDOR NÃO TEM JANELAS. ENTREI NO QUARTO DA NATHÁLIA, O VENTO SOPRAVA FORTE, E PARA A PORTA NÃO BATER, SEGUREI ELA COM O PÉ E ME ESTIQUEI PARA FECHAR A JANELA, QUE TINHA UM COBERTOR NO LUGAR DE CORTINA. QUANDO FUI FECHAR, VI QUE NÃO ESTAVA NO QUARTO ANDAR, QUE É ONDE EU MORO, E SIM NO SEGUNDO ANDAR. NISTO, ANTES DE FECHAR, VI QUE NOS FUNDOS DO PRÉDIO, TINHA ERA UM ENORME TERRENO COM VÁRIOS CANTEIROS PLANTADOS COM HORTALIÇAS, E NÃO CASAS, COMO É REALMENTE. NISTO VI UM HOMEM PASSANDO POR ENTRE ESTES CANTEIROS, DE GUARDA-CHUVA. EU ENTÃO FECHEI A JANELA COM CUIDADO, PARA NÃO ACORDAR A NATHALIA.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

TORNANDO A VIDA POSSÍVEL