BOI CAPRICHOSO / GUARDIÃO DA FLORESTA

BOI CAPRICHOSO, REPRESENTADO PRINCIPALMENTE PELA COR AZUL, É UMA DAS DUAS AGREMIAÇÕES QUE COMPETEM ANUALMENTE NO FESTIVAL FOLCLÓRICO DE PARINTINS, NO AMAZONAS.
A HISTÓRIA
O BOI-BUMBÁ CAPRICHOSO TEM SUA HISTÓRIA ATRELADA A UMA FAMÍLIA. A PROFESSORA E FOLCLORISTA PARINTINENSE ODINÉIA ANDRADE AFIRMA QUE O BUMBÁ FOI FUNDADO EM 1913 PELOS IRMÃOS RAIMUNDO CID, PEDRO CID E FÉLIX CID. OS TRÊS TERIAM MIGRADO DO MUNICÍPIO DE CRATO, NO CEARÁ, PASSANDO PELOS ESTADOS DO MARANHÃO E PARÁ, ATÉ CHEGAREM À ILHA, ONDE FIZERAM UMA PROMESSA A SÃO JOÃO BATISTA PARA OBTEREM PROSPERIDADE NA NOVO MUNICÍPIO. 
ISSO FOI MOTI­VADO PELAS INFLUÊNCIAS RECEBIDAS PELOS CID DURANTE A TRAJETÓRIA ATÉ A ILHA, QUANDO PUDERAM CONHECER VÁRIOS FOLGUEDOS JUNINOS POR ONDE PASSARAM. DUAS MANIFESTAÇÕES FOLCLÓRICAS CHAMARAM A ATENÇÃO: O BUMBA-MEU-BOI, MARANHENSE, E A MA­RUJADA PARAENSE. ANDRADE (2006) 
AFIRMA QUE O BOI CAPRICHOSO ASSIMILOU ELEMENTOS DESSES DOIS FOLGUEDOS, UMA VEZ QUE O BUMBÁ ADOTOU COMO CORES OFICIAIS O AZUL E O BRANCO, USADAS NOS TRAJES DOS MARUJOS, E DENOMINOU SEU GRUPO DE BATUQUEIROS, RESPONSÁVEIS PELO RITMO NA APRESENTAÇÃO DO BOI DE MARUJADA DE GUERRA. 
HÁ OUTRA VERSÃO, SUPOSTAMENTE VERDADEIRA, DE QUE O CAPRICHOSO SURGIU DE UMA DISSENSÃO DO BOI GALANTE, POR VOLTA DE 1925 OU 1928, TENDO ASSIM 80 ANOS DE EXISTÊNCIA E NÃO 95 COMO LHE É ATRIBUÍDO.
SIMBOLO
CAPRICHOSO É O BOI-BUMBÁ QUE DEFENDE AS CORES AZUL E BRANCO. SEU SÍMBOLO É A ESTRELA AZUL, A QUAL OSTENTA EM SUA TESTA. É O GUARDIÃO DA FLORESTA, DO FOLCLORE PARINTINENSE, DO IMAGINÁRIO CABOCLO E DO LENDÁRIO DOS POVOS INDÍGENAS. O NOME, CAPRICHOSO, TERIA UM SIGNIFICADO INTRÍNSECO A ELE, ISTO É, PESSOAS CHEIAS DE CAPRICHO, TRABALHO E HONESTIDADE. O SUFIXO “OSO”, SIGNIFICANDO PROVIDO OU CHEIO DE GLÓRIA. QUANDO SOMADOS, “CAPRICHO” MAIS “OSO”, PODER-SE-IA DIZER QUE É EXTRAVAGANTE E PRIMOROSO EM SUA ARTE. 
PARA COMPREENDER O SURGIMENTO DO CAPRICHOSO E DO FOLCLORE DE PARINTINS, LER A OBRA "A VERDADEIRA HISTÓRIA DO FESTIVAL DE PARINTINS" DE RAIMUNDINHO DUTRA, VERSADOR TRADICIONAL DESTE BUMBÁ, ORIUNDO DE UMA FAMÍLIA TRADICIONAL DO BOI AZUL. O LOCAL DE REALIZAÇÃO DOS FESTEJOS PARTICULARES, CHAMADO DE CURRAL, É CHAMADO DE CURRAL ZECA XIBELÃO, UMA HOMENAGEM AO PRIMEIRO TUXAUA DO BOI - BUMBÁ CAPRICHOSO, FALECIDO EM 1988, QUE SE LOCALIZA NA PARTE CONSIDERADA COMO AZUL DA CIDADE. QUEM SEPARA OS LADOS DE CADA BUMBÁ É A CATEDRAL DE NOSSA SENHORA DO CARMO.
OS RITUAIS
EM 1994 O BOI BUMBÁ CAPRICHOSO, DEU UM ESPETÁCULO INESQUECÍVEL COM BELÍSSIMAS ALEGORIAS, TUDO CULMINANDO NUM MOMENTO MÁGICO: O RITUAL INDÍGENA. NAQUELE ANO FORAM ENCENADOS OS RITUAIS UNANKIÊ, FIBRAS DE ARUMÃ E UREQUEÍ.
EM 1995 FORAM OUTROS TRÊS GRANDES RITUAIS: LAGARTA DE FOGO, TEMPLO DE MONAN E O INESQUECÍVEL RITUAL KANANCIUÊ, QUE MOSTRAVA UM URUBÚ-REI LUTANDO COM O PAJÉ, VALDIR SANTANA. DURANTE ESSE RITUAL, A MARUJADA PAROU E PELA PRIMEIRA VEZ HOUVE TEXTO EM UMA APRESENTAÇÃO DE RITUAL: O PAJÉ PERGUNTAVA "ONDE ESTÁ A LUZ" E O URUBU-REI RESPONDIA "EU NÃO SEI". NO MOMENTO EM QUE O URUBU FOI DERROTADO, UM ESPETÁCULO PIROTÉCNICO SAIU DE DENTRO DA ALEGORIA REPRESENTANDO A LIBERTAÇÃO DA LUZ, PARA DELÍRIO E ÊXTASE DA GALERA.
OS CAMPEONATOS
A DÉCADA DE 90 REPRESENTOU UM DOS MELHORES MOMENTOS DA HISTÓRIA DO BOI CAPRICHOSO. DE 1990 A 1999, GANHOU SEIS DOS DEZ FESTIVAIS DISPUTADOS - PERDEU EM 1991, 1993, 1997 E 1999. EM 1991, FOI MUITO PREJUDICADO PELA CHUVA. EM 1993, SEGUNDO OS SEUS SEGUIDORES, FOI INJUSTIÇADO. E EM 1997, CONSIDERANDO A SOMA DOS PONTOS DADOS PELOS JURADOS À APRESENTAÇÃO NA ARENA, O CAPRICHOSO TERIA SAGRADO-SE NOVAMENTE CAMPEÃO. 
A DERROTA PORÉM, ADVEIO DE UMA PENALIDADE IMPOSTA PELOS JURADOS AO APRESENTADOR GIL GONÇALVES, O QUE, SE NÃO TIVESSE ACONTECIDO, TERIA DADO AO BOI O PENTACAMPEONATO EM 1998.

fonte - Wikipédia

Comentários