Pular para o conteúdo principal

FILOSOFIA / SERVE PARA QUE?

conhecimento sem finalidade utilitária 

A atriz Cláudia Abreu se formou em filosofia quando já atuava na televisão.

Enquanto esperavam o próximo discurso na ágora, a praça das feiras e das discussões, os gregos do século 6 a.C. devem ter se perguntado: "Essa filosofia que apareceu por aí. Serve para quê?"

É próprio da filosofia perguntar, questionar, buscar explicações. Por que haveria ela de escapar à indagação sobre sua própria existência? Ela, que tanto preza a interrogação, não poderia mesmo se furtar a seu próprio porquê.

Vinte e cinco séculos se passaram e a velha pergunta não cala: para que serve a filosofia? Na opinião da maior parte das pessoas, no mundo utilitarista em que vivemos, tudo tem de ter uma razão de ser e uma finalidade. Então, a resposta ainda é necessária. E ela seria: a filosofia não serve para nada!

 

Sem finalidade

Mas você já pensou que muitas outras coisas não têm finalidade específica e nem por isso são desimportantes? A arte, por exemplo, serve para quê? Qual a finalidade da natureza, do mundo físico? Não é por não serem utilitárias que a arte, a natureza e também a filosofia deixam de ter sua razão de ser.

Se você já estuda filosofia na escola, deve estar se perguntando: "Por que estou lendo sobre filosofia, se ela não serve para nada? Para que vai me servir isso?" Você acaba de se questionar. Talvez tenha arranjado uma resposta, mesmo que provisória, e outra pergunta surgiu. É assim que se começa a filosofar. Perguntando sobre o mundo, sobre si e o outro.
O que sou?
O que sou? Essa é uma das primeiras perguntas que surgem para quem quer filosofar. Quer continuar? Pois saiba que vai se iniciar uma história de perguntas sem fim. Veja como Marilena Chauí, filósofa brasileira, descreve o pensamento filosófico:

"Eu imagino que a filosofia busca uma atitude precisa: perguntar. E perguntar, não para encontrar imediatamente respostas. Perguntar para que respostas sejam dadas e voltar a fazer perguntas sobre as respostas que foram dadas. É nunca abrir mão da atitude crítica, sabendo que é uma atitude desgraçada, na medida em que não teremos nunca a vantagem de quem, em um navio, possui um mapa, uma bússola, todos os aparelhos eletrônicos, de tal modo que o piloto possa até mesmo dormir e o navio vá sozinho para o seu destino. A idéia de assumir até o fim um pensamento crítico é aceitar que navegamos sem mapa, sem bússola, no máximo talvez com uma estrela, e que essa estrela seja: continuar perguntando." (in, Lorieri e Rios, 2004, págs.29-30)

"Só sei que nada sei"

Isso lhe parece desesperador? Pense bem. Se quer continuar no caminho da filosofia, vai precisar se distanciar um pouco das certezas. A filosofia não lhe trará segurança a respeito de muita coisa. Sócrates, por exemplo, dizia: "Só sei que nada sei".

Ele punha por terra tudo o que julgava mais certo, para então construir o seu conhecimento. Se você for aceitar o desafio de filosofar, vai perceber que a filosofia é assim meio fugidia, atiça nossas incertezas. Ela é sedutora como as sereias que quase encantaram Ulisses na "Odisséia". Mas, ao contrário do que acontece nessa história, a filosofia não põe em risco a aventura de navegar, sem mapas nem bússolas.
(fonte: uol.com.br)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ZIQUINHO, O POLVINHO DIFERENTE

NO FUNDO DE UM MAR BRAVIO, NO PORÃO DE UM NAVIO, QUE NAUFRAGOU POR LÁ.
DONA POLVA ESTÁ CONTENTE, SEU MARIDO IMPACIENTE, POIS SEUS FILHOS VÃO CHEGAR.

NAQUELE MESMO DIA, DURANTE UMA CALMARIA, DE UMA TARDE DE VERÃO.
NASCERAM OS POLVINHOS, QUE CHEGARAM DE MANSINHO, PARA ORGULHO DO PAIZÃO.

NASCERAM OS POLVINHOS, QUASE TODOS IGUAISZINHOS, SE NÃO FOSSE UM DOS IRMÃOS.
ENQUANTO SETE DOS POLVINHOS ERAM TODOS IGUAISZINHOS, UM SÓ ERAM BRANCÃO.

POR SER TÃO DIFERENTE, DERAM-LHE O NOME DE GENTE, ÀQUELE POLVINHO ENGRAÇADO.
POR SER TÃO BRANQUINHO, E BASTANTE MIUDINHO, DE ZIQUINHO FOI CHAMADO.

ENQUANTO TODA TURMINHA, VINHA PELA TARDINHA, E NO NAVIO BRINCAVA.
ZIQUINHO TRISTE SENTADO, SENTINDO-SE REJEITADO, NÃO SE CONFORMAVA.

MAS O SÁBIO PROFESSOR, QUE ENTENDIA TUDO DE COR, ERA UM GRANDE TUBARÃO.
PROCUROU POR ZIQUINHO, E LHE DISSE BEM BAIXINHO, TER ENCONTRADO A SOLUÇÃO.

“ZIQUINHO VOU LHE DIZER TUDO QUE TENS A FAZER, PARA PRETINHO FICAR”
“TOME CUIDADO COM A ARRAIA, NADE ATÉ UMA PRAIA E DEIXE O SOL TE QUE…

CORRENDO VELOZMENTE DO BICHO ESTRANHO

Estava numa estrada comprida e reta, cercada de mato em ambos os lados. Nisto veio um bicho em alta velocidade. Alguém gritou para sair da frente, porque o bicho era muito feroz. Então dei um pulo e ele passou rapidamente. Sai correndo atrás do bicho, tão rápido quanto ele ia. Depois o bicho mudou de direção, vindo correndo atrás de mim. Sai correndo velozmente, mas o bicho estava me alcançando. Então pensei que era só voar que ele não me pegaria. Dei um grande salto e sai voando. Nisto vi o bicho passando logo abaixo de mim. Via só a poeira que ele fazia. O bicho mesmo não via. Fiquei pensando que ainda bem que o tal bicho não voava, senão estaria perdido.

VIÇOSA / MG - CIDADE UNIVERSITÁRIA E JOVEM

SEJA BEM VINDO A CIDADE DE VIÇOSA. UMA CIDADE JOVEM E CULTA
foto - ?
VIÇOSA TEM UMA POPULAÇÃO É DE 72.244 HABITANTES, ALÉM DE UMA POPULAÇÃO FLUTUANTE DE APROXIMADAMENTE 20.000 PESSOAS, COMPOSTA PRINCIPALMENTE DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA E OUTRAS INSTITUIÇÕES. QUEM NASCE EM VIÇOSA EH: VIÇOSENSE HISTÓRIA
TRATA-SE DE UMA CIDADE ESSENCIALMENTE UNIVERSITÁRIA, COM DESTAQUE PARA A UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA, CONTA AINDA COM OUTRAS INSTITUIÇÕES DE ENSINO SUPERIOR PRIVADAS COMO ESUV, FDV, UNIVIÇOSA, UNOPAR, ACENTUANDO AINDA MAIS O CARÁTER EDUCACIONAL DA CIDADE. A HISTÓRIA DE VIÇOSA SE INICIA, PROPRIAMENTE, NO SÉCULO XIX. FOI EM 1800, SEGUNDO APONTAMENTOS ECLESIÁSTICOS QUE O PADRE FRANCISCO JOSÉ DA SILVA OBTEVE DO BISPADO DE MARIANA PERMISSÃO PARA ERIGIR UMA ERMIDA EM HOMENAGEM A SANTA RITA DE CÁSSIA, NA REGIÃO QUE HOJE ABRANGE O MUNICÍPIO. A CONSTRUÇÃO DA ERMIDA E A FERTILIDADE DAS TERRAS ATRAÍRAM HABITANTES DE MUNICÍPIOS VIZINHOS, PRINCIPALMENTE DE MARIANA, O…