ROTEIROS TURÍSTICOS : 11/23/11

Barão de Cocais, Minas Gerais - Na Serra do Caraça


















Com boas oportunidades para a prática do ecoturismo e você ainda pode se hospedar no Lendário Colégio do Caraça

 




As ruínas e pinturas rupestres encontradas na cidade são de surpreender qualquer visitante. Seis mil anos antes do povoamento da região, Barão de Cocais, situada nas proximidades da Serra do Caraça, a aproximadamente 90 km da capital mineira, já era habitado por indígenas. (Instituto Estrada Real)
Os vestígios estão no sítio arqueológico Pedra Pintada, que possui pinturas rupestres com desenhos semelhantes aos das grutas de Altamira, no norte da Espanha, e Lascaux, no sul da França. O sítio arqueológico está localizado no distrito de Cocais, que oferece aos visitantes boas oportunidades para a prática do ecoturismo, além de belas construções históricas dos séculos 18 e 19, apresentando aspectos de um vilarejo colonial. (Instituto Estrada Real)
Uma das muitas cachoeiras da região (PMBC)
BEM VINDO A  BARÃO DE COCAIS. A CIDADE PORTAL DA SERRA DO CARAÇA
AQUI, O BELÍSSIMO COLÉGIO DO CARAÇA
copyright "PMBC"
AQUI, NA ENTRADA DO COLÉGIO DO CARAÇA, CUJO INCÊNDIO DESTRUIU
Copyright "Ikmaciel"
Estive no colégio do caraça, fazendo turismo, por uma semana. Tempos atrás. Realmente a paisagem eh belíssima. Pode-se fazer trilhas, nadar nas cachoeiras, curtir a belíssima paisagem, apreciar pássaros e animais silvestres.
Tem um rio de cor vermelha, devido sua passagem pelas montanhas ferrosas que existem ali. 
O colégio do caraça, que formava padres, deixou de funcionar depois do grande incêndio. Agora eh só mesmo para o turismo.


Dom Pedro I e sua comitiva, já se hospedaram ali. Tem até o local marcado na ladeira de pedra onde ele escorregou. 
O quarto onde ele e outros dormiram, também está identificado. 
Dormi em um quarto onde um deles dormiu. (não foi o de Dom Pedro)
A comida eh muita boa. Só não gostei do arroz, porque ele vem com umas bolinhas verdes misturadas (acho que se chama peti pua) e deu um trabalho danado separar uma a uma.
No mais, super valeu a pena passar uma semana no colégio do caraça.
Foto - Thymonthy Becker
COCAIS ESTA DISTANTE DESTES PRINCIPAIS CENTROS ECONÔMICOS
Brasília..........................840 km
Rio de Janeiro............... 528 km
São Paulo..................... 679 km
Vitória......................... 470 km
Divinópolis...................210 km
Belo Horizonte............. 101 km
Foto - PMBC
CONHEÇA AGORA A TRANQUILA CIDADE DE BARÃO DE COCAIS.
Copyright "SG Trangel"
RUÍNAS DO GONGO SOCO E CEMITÉRIO DOS INGLESES 
A Mina de Gongo Soco presenciou o auge e a decadência da exploração do ouro de aluvião e da mecanização rudimentar da atividade mineradora. No século XIX, viveu seu apogeu, com a mineração aurífera subterrânea, mecanizada e industrializada. As ruínas do Gongo Soco fazem memória a uma autêntica vila inglesa encravada nas montanhas de Minas e conserva ainda o emblemático Cemitério dos Ingleses, onde eram enterrados apenas os trabalhadores britânicos.


Ali são encontradas ainda hoje lápides com inscrições em inglês e ornamentadas por desenhos apurados. O conjunto das ruínas foi tombado como patrimônio histórico pelo IEPHA, em 1995.
Foto - PMBC
Foto - PMBC
SÍTIO ARQUEOLÓGICO DA PEDRA PINTADA - DISTRITO DE COCAIS
Situado na Vila Colonial de Cocais, a 3,5 km de Barão de Cocais está localizado no complexo montanhoso da Serra do Espinhaço, declarada como reserva da biosfera, pela UNESCO. O primeiro a identificar o valor cultural das pinturas rupestres da Pedra Pintada foi o dinamarquês Peter Lund, responsável por muitas das pesquisas arqueológicas em Minas Gerais. Num cenário deslumbrante, com pinturas bem conservadas e datadas de 6.000 anos a.C., o Sítio Arqueológico da Pedra Pintada encanta ao visitante e remete a uma autêntica viagem no tempo.
Foto - PMBC
SOBRADO DO CARTÓRIO DE COCAIS - DISTRITO DE COCAIS 
Responsável por conservar quase 200 anos de história do Brasil Império, o Sobrado do Cartório, na vila colonial de Cocais, foi reformado para se tornar um Centro Cultural e abrigar o memorial de Barão de Cocais, exposições fixas e temporárias, e oficinas. As características perdidas ao longo dos anos foram totalmente recuperadas.


Em julho de 2008 a Prefeitura comprou o imóvel e deu início às intervenções. A primeira etapa consistiu na proteção do que estava de pé, com escoramento de paredes, e colocação de um telhado provisório.
Em 2009 com recursos do Fundo Estadual de Cultura , e, com a participação da Prefeitura, foram investidos R$780 mil na segunda parte da reforma ; assoalho, paredes e fiação elétrica foram recuperados. As tábuas do sobrado são de garapa. Algumas estruturas foram recuperadas e outras foram substituídas.


As paredes foram reconstruídas com pau a pique, presente nas construções do século 19.
Foto - PMBC
CACHOEIRA DO CAMBOTA
Localizada no córrego São Miguel, a cachoeira da Cambota forma vários saltos ao longo do seu curso bem como duchas e piscinas naturais. Chama a atenção, a presença de orquídeas, canelas-de-ema e samambaias em seu entorno.
Foto - PMBC
CALÇAMENTO COLONIAL
Foto - PMBC
IGREJA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO APARECIDA
Foto - PMBC
PEDRA OCTOGONAL
Foto - PMBC
ESTA EH A SERRA DO CARAÇA
Copyright "JK Moraes"
O TREM, NO CONTEXTO DA PAISAGEM DE COCAIS
Copyright "Leonardo Moraes"
ESTA EH UMA DAS PRAÇAS DA CIDADE
Copyright "Jairo Nunes"
OUTRA PRAÇA
Copyright "Jacqueline San Juan"
ESTA EH A PRAÇA NOSSA SENHORA APARECIDA
Copyright "Leandro Durâes"


ESTA EH A IGREJA DE SÃO JOSÉ
Copyright "SG Trangel"
A MATRIZ DE SÃO JOÃO BATISTA
O Santuário possui altares folheados a ouro e a pintura do teto é atribuída ao Mestre Ataíde. A construção, iniciada em 1764, é um exemplo da ousadia artística de Aleijadinho, que fez alterações no projeto arquitetônico original, esculpiu a imagem de São João Batista em pedra-sabão presente no nicho da fachada principal do Santuário e ainda a tarja do arco cruzeiro no interior da Igreja. Foi tombado pelo IPHAN
Copyright "JK Moraes"
AQUI A FONTE DE TRÊS BICAS
Copyright "PMBC"
COCAIS NAS MONTANHAS DAS MINAS GERAIS
Copyright "Antonio Cesar Vieira"
ESTE EH O DISTRITO DE CONCEIÇÃO DO RIO ACIMA
Copyright "BT Felício"
AQUI O CENTRO DA CIDADE, NUM DIA DE CARNAVAL
Copyright "PMBC"
ESTA EH A CAPELA DE SÃO MIGUEL. TEM A COR DO AMANHECER.
Copyright "SG Trangel"
CAPELINHA DE SÃO BENEDITO. FICA NO BAIRRO DE MESMO NOME.
Segundo a tradição oral, a Capela de São Benedito, construída em 1914, fica no mesmo local onde foi fincada a cruz de malta portuguesa pelos bandeirantes, quando da fundação de Barão de Cocais, então São João do Presídio de Morro Grande, no início do século XVIII.


A sua construção foi idealizada e paga pelo Sr. Nico Caldeira, ao receber um prêmio de loteria. Ele mandou pintar na fachada os seguintes dizeres : “ Ao Glorioso São Benedito e em honra a São João Batista ofereço esta Capela –Antônio Raimundo Caldeira – 1914”. A Capela de São Benedito é tombada como patrimônio municipal.
Copyright "Luiz C. Storni"
VISITANDO COCAIS, VOCÊ PODERÁ BANHAR-SE EM INÚMERAS CACHOEIRAS QUE EXISTEM NA REGIÃO. ESTA EH A CACHOEIRA DA CAMBOTA
Copyright "PMBC"
Foto - PMBC
Foto - PMBC
Foto - PMBC
Foto - PMBC
ESTE EH UM NOVO BAIRRO EM CONSTRUÇÃO NA CIDADE
Copyright "PMBC"
População estimada 2016 (1) - 31.628
Área da unidade territorial 2015 (km²) - 340,585
Densidade demográfica 2010 (hab/km²) - 83,51
Código do Município 3105400
Gentílico - cocaiense
Prefeito 2017 / DÉCIO GERALDO DOS SANTOS
ORIGEM DO NOME
O topônimo foi escolhido numa justa homenagem ao filho da terra, Barão de Cocais, que proporcionava meios de vida a centenas de trabalhadores da localidade.
Gentílico: cocaiense
Histórico
Barão de Cocais
Minas Gerais - MG
HISTÓRICO DA CIDADE DE BARÃO DE COCAIS, MINAS GERAIS
Em 1713, bandeirantes portugueses e brasileiros, deslocando-se do povoado do "Socorro", desceram o rio percorrendo aproximadamente dez quilômetros acampando no lugar a deram o nome de Macacos.


Construíram suas cabanas e uma pobre capela de madeira, sob a invocação de São João Batista. Com os correr dos tempos surgiram outros nomes, todos dados pelos Bandeirantes. Eis a pequena relação de nomes ainda em seus primeiros anos de existência:
1 - MACACOS
2- SÃO JOÃO BATISTA DO MORRO GRANDE
3- ITAMBÉ
4- SÃO JOÃO BATISTA DO PRESÍDIO
5- SÃO JOÃO DA PEDRA
Sendo bem sucedidos em suas explorações em busca de minério para lá se dirigiram novos forasteiros, iniciando daí a construção de novas casas. Em 08 de janeiro de 1764, devido a iniciativa de Domingos da Silva Maia e do Cel. do 2º regimento, Sr. Manoel da Câmara Bittencourt, português de nascimento, foi iniciada a construção da Matriz, localizada na Praça principal do então Distrito. Para levarem a efeito esse empreendimento, os seus promotores mandaram vir de Lisboa a Planta do Templo. (Vide Alejadinho).

" OS ÍNDIOS"
Não foi necessário o desbravamento deste município porque os índios que aqui residiam abandonaram a região antes da chegada da civilização. Habitavam nas imediações de um grande morro denominado Pedra Pintada, onde deixaram pintados na pedra com tinta vermelha diversos animais ferozes, peixes etc. Seguia a marcha progressiva dos pequenos Distritos quando, em 1925, a Cia Brasileira de Usinas Metalúrgicas montou no local uma usina filial de ferro-gusa, alcançando a partir daí grande desenvolvimento.

O topônimo foi escolhido numa justa homenagem ao filho da terra, Barão de Cocais, que proporcionava meios de vida a centenas de trabalhadores da localidade.
Gentílico: cocaiense
ESTA EH A BANDEIRA DA CIDADE DE BARÃO DE COCAIS, MINAS GERAIS
ESTE EH O BRASÃO DO MUNICÍPIO DE BARÃO DE COCAIS, MG
A GENTE SE ENCONTRA QUALQUER DIA DESTES
copyright by Thymonthy Becker

ATÉ LÁ


Fonte / Fotos = IBGE / Portal do Governo de Barão de Cocais, MG / Wikipédia / Thymonthy Becker /